Há 20 anos, morria o sertanejo João Paulo; Daniel relembrou o amigo

"Pedi para que ele descansasse e viajasse só no dia seguinte", disse Daniel

Daniel relembra amigo em entrevista exclusiva ao R7
Daniel relembra amigo em entrevista exclusiva ao R7 Reprodução/Instagram

Há 20 anos, a música sertaneja estava de luto. Naquela sexta-feira (12) de setembro de 1997, o gênero perdia o cantor José Henrique dos Reis, mais conhecido por João Paulo, em um acidente de carro ocorrido na altura do km 40 da rodovia dos Bandeirantes, no Município de Franco da Rocha (Grande São Paulo). Ao lado de Daniel, seu parceiro de shows, o artista formou uma das duplas mais requisitadas da geração sertaneja da década de 1990.

Horas antes do acidente, João Paulo e Daniel haviam se apresentado na Festa de Peão em São Caetano do Sul (Grande São Paulo). Daniel conversou com o R7 e relembrou os últimos instantes em que esteve com o amigo.

— Eu tenho todos os detalhes gravados na minha cabeça até hoje. Tudo, tudo o que a gente viveu naquele dia. Até a reunião que nós tivemos com o diretor Aloísio Legey, pois íamos estrear um novo show.

Daniel contou que João Paulo estava bastante extrovertido.

— Fizemos um show com uma energia parecida como a dos outros que a gente tinha realizado, mas foi um show especial. Eu me lembro de tudo.

Após a apresentação, Daniel contou que ele e João Paulo se dirigiram para um hotel da cidade, e que lá, ele havia pedido a João para não viajar naquela noite. O cantor, que havia completado 29 anos três dias antes, convidou João Paulo para uma comemoração preparada pelo fã clube da dupla. Mas o parceiro acabou declinando o convite. Daniel recordou a última conversa que teve com o amigo.

— Foi no saguão do hotel, quando eu ia receber o fã clube, que estava comemorando meu aniversário. Fizeram um bolo para mim, aliás, um bolo para nós, porque nele estava escrito 'parabéns João Paulo e Daniel'. Me lembro como se fosse hoje. Tinha pedido para que ele ficasse, para que ele dormisse, para que ele descansasse e viajasse no dia seguinte. Essa foi a última conversa que tivemos juntos.

Daniel não conseguiu convencer o amigo.

— A última imagem que tenho dele é no saguão do hotel, a porta do elevador se fechando e eu o vendo pela última vez. 

Parece mentira que já se passaram 20 anos, na verdade uma vida! Uma vida longe de você meu irmão. O que resta são as boas recordações! Saudades.
Daniel, em post no Instagram



De acordo com o jornal Folha de S. Paulo em matéria da época, João Paulo estava acompanhado do amigo Paulo César Pavarini, que sobreviveu à tragédia. Os dois seguiam para a cidade de Brotas, no interior de São Paulo. Num dado momento da viagem, João e César resolveram parar num restaurante. Naquele momento, quem dirigia o carro era Pavarini. Depois, estacionaram num posto de combustível para abastecer. Foi quando João Paulo decidiu assumir o volante.

Ainda de acordo com a publicação, após percorrerem cerca de sete quilômetros de estrada, João Paulo derrapou o veículo, perdendo o controle. O laudo policial da época apontou que o veículo estava a 127km/h. O corpo de João Paulo foi levado para o Instituto Médico Legal de São Paulo e de lá, transferido para de helicóptero para Brotas, onde foi velado sob forte comoção de fãs e familiares.