Advogado tenta suspender processo de Justin Bieber por pichação no Brasil

Francisco Angelo Carbone Sobrinho entrou com habeas corpus no mês passado

Justin Bieber pichou um muro no Brasil há quatro anos
Justin Bieber pichou um muro no Brasil há quatro anos Eduardo Enomoto/R7

O advogado Francisco Angelo Carbone Sobrinho entrou com um habeas corpus no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, no dia 31 do mês passado, pedindo que o processo contra Justin Bieber seja finalizado. No pedido, ele alega que o crime cometido pelo cantor, que pichou o muro de um hotel em São Conrado, na zona sul da cidade carioca, em novembro de 2013, já prescreveu.

De acordo com o jornal Extra, Sobrinho decidiu entrar com o habeas corpus porque disse que o artista está sofre “constrangimento ilegal” com a ação. O advogado não foi contratado por Justin Bieber.

O jornal conta que o advogado alega que o crime prescreveria em dois anos, o que já teria ocorrido. No documento, ele afirma que Justin Bieber era menor de idade na época do episódio, mas pela data de nascimento que atribuiu ao artista no habeas corpus, ele já tinha 19 anos quando cometeu o crime.

O pedido ainda será julgado pela 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio.

O Ministério Público do Rio decidiu reabrir o processo na 24ª Vara Criminal do Rio, ao saber que o cantor viria à cidade para um show, o que ocorreu no fim do mês passado. Ao chegar no Rio, o artista foi notificado sobre o processo. O MP fez uma proposta para que ele pagasse R$ 20 mil para o Hospital do Câncer como punição e a ação fosse encerrada.

Leia mais:

Justin Bieber vai pagar R$ 20 mil ao Hospital do Câncer como punição pela pichação do muro, em 2013

Saiba quais são as músicas de Justin Bieber que não saem da cabeça das famosas

Baby ou Sorry? Confira os sete vídeos mais vistos de Justin Bieber