Erick Jay vai defender título mundial de DJs em Londres

Final do DMC World acontece no dia 1º de outubro; brasileiro é favorito

O DJ Erick Jay vai defender o título mundial em Londres
O DJ Erick Jay vai defender o título mundial em Londres Rafael Berenziski/Divulgação

Em 1997, Eric Garcia, o DJ Erick Jay, era ajudante-geral em uma metalúrgica em São Paulo, com uma jornada que ia das 7h às 18h.

Naquele ano, ele tomou uma das decisões mais importantes da vida. Largou o emprego e juntou o dinheiro do FGTS e rescisão para comprar um equipamento de DJs que um vizinho estava vendendo. Este foi o pontapé inicial para ele se tornar o maior DJ do Mundo.

O começo foi tocando em bailes black, casamentos e quermesses nas quebradas.

No final deste mês, ele embarca para Londres onde vai defender, no dia 1º de outubro, o título do DMC World DJ Championships, conquistado em 2016. O DJ também vai aproveitar a passagem pela Europa para fazer um mini-turnê pela França, Alemanha e República Tcheca.

Com mais de 30 anos de tradição, o DMC World é a competição de maior prestígio do hip-hop. Com uma rotina diária de três a quatro horas de treinamento, DJ Erick impõe respeitos aos concorrentes. O brasileiro é um nome temido entre os oponente e reconhecido pela nata do hip-hop mundial. "

O contato com a música veio de casa, o pai do Erick tinha montado uma equipe de som na Vila Guarani, na zona Leste da capital, e a discoteca da família Garcia era recheada de pérolas. "O compacto de Thriller, do Michael Jackson, e um disco do Tim Maia, que tinha a música Olhos de Mel, eram os meus preferidos. Ouvi muito esses discos. É uma lembrança forte da infância", disse Erick Jay. A bolacha do Tim que fez a cabeça do Erick Jay é o "Reencontro", lançado em 1979.

Novato na profissão, Erick Jay ia nas casas de shows aprender vendo as performances de DJs. "Eu ia na Chic Show, na Radial, e tentava entrar, mesmo não tendo idade. Eu via o R. Jay, o Marcelo e o Grand Master Duda. Eles dominavam as pistas", lembra o Erick, que na época também participava de um grupo de break dance. 

Logo chegou a vez dele mostrar das suas qualidades nos campeonatos e batalhas. Como DJs performático, aliando rapidez, criatividade e domínio da pista, Erick Jay acumulou muitos títulos e prêmios. Entre 2006 e 2008, ganhou as três edições do Hip Hop DJ, consagrando-se como o melhor DJ da América Latina. Foi também pentacampeão do DMC Brasil (em 2009, 2010, 2011, 2014 e 2015).

Foi se destacando nos campeonatos que ele conheceu o rapper Kamau. O encontro foi em 2002, quando ele se classificou na repescagem do campeonato nacional no Sesc Pompeia. Naquele dia, ele não ganhou, mas ter o talento reconhecido por um dos maiores rappers brasileiros de todos os tempo valeu como um título. "Ele chegou para mim e disse que tinha gostado da minha sessão e que um dia o meu telefone iria tocar", disse. Passaram alguns anos, e a parceira com o Kamau virou uma realidade. 

"O campeonato era organizado pelo KL Jay (Racionais MCs) e o Xis. Tinha toda a cena de olho no campeonato. Quem se destacava nas pick-ups já descia do palco com emprego garantido. A visibilidade era muito grande nessa época",  lembra o DJ. Nos anos seguintes, em 2003 e 2004, ele ficou entre os cinco finalistas. Em 2005, foi para a final com o DJ Tano, que naquele ano se tornou tricampeão. O primeiro título do Erick Jay no Hip Hop DJ veio em 2006, quando superou o o DJ e amigo RM. "Foi o ano em que as portas começaram a se abrir", disse. 

A consagração nos toca-discos, naquela época, não era suficiente para garantir uma vida só na música. "De 2006 a 2008, eu ainda trabalhava tirando xerox em um prédio na região da Paulista, na alameda Bela Cintra. Para defender o título, eu chegava do trabalho às 19h, tomava um café, e ia treinar até 23h ou meia-noite. Acordava às 5h, e treinava até as 7h, e depois ia para o trabalho e a rotina repetia", disse. 

Além de tocar com o Kamau, Erick Jay também é o DJ residente do programa Manos e Minas, da TV Cultura, onde também faz matérias descobrindo novos talentos da cultura hip-hop. 

Em 2008, o campeonato mundial DMC teve uma edição especial no Brasil. "Eu já estava me preparando para disputá-lo. E veio então a sequência de título que começou em 2009", disse. Em 2013 e 2014, ele foi convidado pelos ingleses para representar o Brasil em Londres. 

Para defender o título mundial, DJ Erick Jay treina, no mínimo, quatro horas por dia e acompanha as performances de DJs do mundo todo. "O DJ que faz performance é capaz de fazer qualquer música. Eu posso tocar samba, fazer a cuíca nos toca-discos, posso tocar jazz, já toquei e improvissei com músicos de jazz. É ridículo dizer que DJ não é músico. Eu me encaixo em qualquer banda", disse.