Marcos Harter faz balanço de sua participação no Big Brother Brasil: "Descobri que todo mundo tem um preço"

Com o fim do reality show, cirurgião plástico está focado na carreira de Medicina 

  • TV e Entretenimento
  • Andrezza Pugliesi, do R7
Divulgação/R2

Marcos Harter viu sua vida mudar há um mês, quando participou da décima sétima edição do Big Brother Brasil. No reality show, o cirurgião plástico se envolveu em uma briga com Emilly Araújo, foi acusado de agressão e expulso do programa.

Fora do confinamento, ele enaltece que “aprendeu muito com a atração”.

— Foi uma experiência que me ensinou. Certamente me mostrou que sempre precisamos melhorar como seres humanos, e em nossos relacionamentos. Como médico, foi uma experiência enriquecedora porque sempre tive curiosidade na área de psiquiatria, nas relações interpessoais, decorrentes do confinamento. Participar como “cobaia” foi sensacional. Acredito que o ponto negativo tenha sido descobrir que todo mundo tem um preço.

Após deixar a casa, Harter precisou prestar depoimento na Deam (Delegacia Especial de Atendimento à Mulher) de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro. A investigação começou após o programa exibir cenas onde Marcos acuou, gritou e apontou o dedo para o rosto de Emilly, com quem mantinha um relacionamento dentro da casa. 

Após o episódio, o médico diz dar mais valor as pequenas coisas.

— O confinamento é realmente um teste de existência. O motivo pelo qual a maioria das pessoas entram me fez enxergar as coisas de uma forma muito negativa logo que saí. Em um mês fora da casa reencontrei verdadeiros amigos, pessoas que me amam como a minha família, voltei a trabalhar e fazer o que gosto. Todas essas coisas me devolveram a positividade com que vejo a vida e o mundo aqui fora.

Pós-confinamento

Questionado sobre a gêmea, Marcos preferiu não se manifestar, mas conta que se arrepende de ter feito uma coisa no programa: "insistir tanto em fazer as pessoas aprenderem o que somente a vida aqui fora pode ensinar".

Após ficar famoso, Harter tem uma legião de fãs por onde passa. O médico acumula mais de dois milhões de admiradores em suas redes sociais.

— Tenho recebido tanto carinho das pessoas nas ruas, inúmeras demonstrações de afeto e de respeito e isso é muito gratificante. Acredito que as pessoas conseguiram perceber minha essência.

O gaúcho ressalta que o programa fez com que sua agenda profissional ganhasse um novo ritmo.

— Ela já era bem movimentada, mas realmente o número de clientes aumentou extraordinariamente. E, para mim, como médico, é muito bom saber que tanta gente confia ou admira meu trabalho. Claro que o programa contribuiu para isso.

Marcos conta que não pretende continuar na televisão. Seu foco agora é se aperfeiçoar na Medicina — ele é especialista em rinoplastia (cirurgia estética no nariz) —, e no leilão beneficente de abadás e outros itens utilizados por ele durante o BBB.

— Falta acertar alguns detalhes com meu jurídico e com uma empresa de auditoria para realizar tudo com transparência e credibilidade. Estamos nos organizando para realizar ainda nesse mês e toda renda será revertida para uma instituição de caridade da cidade de origem de quem arrematar os itens. Ser feliz no que nos propomos a fazer nos faz esquecer dos problemas a nossa volta.