Cerca de 3.500 passageiros ficaram presos no aeroporto de Bariloche por causa da nevasca

Aeroporto fica a 15km do centro da cidade, não há hotelaria próximo a ele

Aeroporto de Bariloche enfrenta caos com passageiros presos pela nevasca
Aeroporto de Bariloche enfrenta caos com passageiros presos pela nevasca Arquivo pessoal/Adriana Pastore

Cerca de 3.500 passageiros sofreram as consequêcias do fechamento do aeroporto de Bariloche, na Argentina, entre sábado e segunda-feira (18).

O destino registrou a menor temperatura dos últimos 50 anos. Segundo o Serviço Meteorológico Nacional, a temperatura mínima chegou a -25,4°C, com -29ºC de sensação térmica. 

O escritório de turismo do destino conta que, nesta quarta (20) quase todos os passageiros já regressaram a Buenos Aires em ônibus disponibilizados ou em voos reprogramados.

Brasileiros impedidos de voltar têm direitos a hotel e comida

O aeroporto fica a 15km do centro da cidade, então não há hotelaria próximo a ele. A tempestade de neve e gelo impediu a rota de acesso no sábado e afetou o traslado dos passageiros para os hotéis. Muitos ficaram no terminal aéreo.

Em nota, o Itamaraty contou que o aeroporto já funciona regularmente. Muitos viajantes retidos no aeroporto foram para para Buenos Aires na noite de terça (18) e na madrugada de de ontem (19), em ônibus disponibilizados pelas companhias aéreas e autoridades argentinas.

Uma família brasileira que saiu de Porto Alegre na sexta (14) e ficou quatro dias em trânsito sem conseguir chegar. Eles desistiram da viagem e tiveram um prejuízo de R$ 15 mil.

Brasileiros presos no aeroporto relataram preços abusivos não só de hotéis como de restaurantes no local. Nesta quarta (20), as autoridades da prefeitura local começaram a verificar todas as reclamações de preços abusivos no aeroporto.