Carnaval 2018 Prefeitura do Rio registra recorde de atendimentos médicos na Sapucaí

Prefeitura do Rio registra recorde de atendimentos médicos na Sapucaí

Mais de 1.800 foliões foram atendidos nos postos instalados no Sambódromo pela Secretaria de Saúde

Mais de 1.800 atendimentos médicos foram feitos na Sapucaí

Mais de 1.800 atendimentos médicos foram feitos na Sapucaí

Fernando Frazão/Agência Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro registrou o recorde de 1.811 atendimentos médicos em quatro dias de desfile na Marquês de Sapucaí, em sete postos instalados no local. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o número supera em 124 os atendimentos feitos no mesmo período de ano passado (1.687).

Ao todo, 66 pessoas foram transferidas para hospitais da rede municipal de saúde este ano, número menor do que os 73 de 2017.

Acadêmicos do Tatuapé é bicampeã do Carnaval de São Paulo

Somente na segunda noite de desfiles das escolas de samba do Grupo Especial, foram atendidos 568 foliões, dos quais 19 foram transferidos para hospitais municipais. A maioria dos atendimentos ocorreu por mal-estar devido ao forte calor ou à ingestão de bebidas alcoólicas ou outras drogas, além de sinais de desidratação, picos de hipertensão, torções e pequenos traumas.

Grupos de bate-bolas são detidos após tumultos em ruas do Rio

Vigilância Sanitária

A Vigilância Sanitária fez 109 inspeções em bares, food trucks (caminhões de comida), bufês, camarotes, ambulâncias, postos de saúde e condições de trabalho. Foram aplicadas 10 multas e inutilizados 2,5 quilos de alimentos. Não houve interdição, informou a prefeitura. O órgão manteve um estande do começo ao fim do desfile, para receber denúncias dos foliões em tempo real e orientá-los sobre a prevenção de riscos à saúde no período de folia.

Suspeito de envolvimento em fraude na compra de camarotes é preso

Nos quatro dias de desfiles das escolas da Série A e do Grupo Especial, foram feitas 367 inspeções, com aplicação de 55 multas e um total de 137 quilos de alimentos inutilizados, com duas interdições. No período, a Vigilância Sanitária atuou ainda nas ruas por onde os blocos passaram. Nessas vias, foram feitas inspeções em 170 bares e restaurantes, além de postos de saúde e ambulâncias que deram suporte aos grandes blocos. Foram aplicadas 34 multas e inutilizados nove quilos de alimentos, com interdição de sete estabelecimentos, por falta de licença sanitária e higiene.

    Access log