Adoro Cinema The Walking Dead: Samantha Morton explica sua abordagem para a origem de Alpha

The Walking Dead: Samantha Morton explica sua abordagem para a origem de Alpha

Atenção: contém spoilers de The Walking Dead!

Atenção: contém spoilers de The Walking Dead!

E temos uma história de origem, senhoras e senhores.

O mais recente episódio de The Walking Dead apresentou a história de Alpha (Samantha Morton) através das memórias de sua filha, Lydia (Cassady McClincy). Embora esta nem sempre seja uma narradora exatamente confiável, "Omega" abre uma notável exceção na série, ao dar espaço para contar como a nova vilã se transformou, de fato, em uma vilã.

Em entrevista concedida à Entertainment Weekly, Morton contou qual foi o seu processo para entender o ponto de vista de sua personagem. Segundo ela, "algo deve ter engatilhado [este comportamento] durante o apocalipse. Talve algo que estivesse adormecido dentro dela. Talvez possamos olhar para a sua infância e descobrir coisas que aconteceram com ela, e é aqui que ela descobre que é capaz de fazer coisas horríveis para sobreviver [...] A maioria dos homens e das mulheres diria que faria de tudo por seus filhos [...] e o que ela percebe é que ela é hiper confiante em sua sobrevivência e no que está disposta a fazer."

A maior diferença na história de origem de Alpha e Lydia da série em relação às HQs é o quanto a produção televisiva entra em detalhes, sobretudo a respeito da relação entre mãe e filha — que não tem os mesmos tons abusivos na contraparte literária. Ainda assim, ambas as versões tomaram decisões questionáveis em nome da sobrevivência.

"Acho que ela é a vilã, mas não se considera uma vilã", reflete Morton. "Ela faz o que precisa ser feito, e está sendo honesta em relação a isso [...] Este é um novo mundo, uma nova ordem, e é brutal, mas é a tribo dela, é como eles funcionam."

The Walking Dead é exibida no Brasil pela FOX, 

AdoroCinema