Pop Com mais de 9,6 milhões de seguidores no YouTube, Júlio Cocielo rejeita título de influenciador: "Não entendo"

Com mais de 9,6 milhões de seguidores no YouTube, Júlio Cocielo rejeita título de influenciador: "Não entendo"

Jovem de 23 anos tem o terceiro canal com o maior número de seguidores do YouTube

“Só não entendo influenciar o que e quem com os meus conteúdos”, diz youtuber Júlio Cocielo 

Júlio Cocielo rejeita o título de influenciador

Júlio Cocielo rejeita o título de influenciador

Reprodução: Instagram

Júlio Cocielo é um fenômeno nas redes sociais. Com mais de 9,6 milhões de inscritos no Canal Canalha, ele é o terceiro mais seguido da plataforma, perdendo apenas para Whindersson Nunes (12,9 milhões) e para o Porta dos Fundos (12,6 milhões). Ao R7, o youtuber confessou que não imaginava fazer tanto sucesso na vida.

— Acho que ninguém imagina fazer tanto sucesso. Quando era pequeno, sempre quis trabalhar com humor. Meu sonho era ser ator, na verdade. Mas nunca imaginei que conseguiria chegar um pouco próximo disso e conseguir fazer um canal no YouTube e até trabalhar na TV. É muito difícil de imaginar.

Os números do jovem de apenas 23 anos são impressionantes. De acordo com pesquisa divulgada pelo Google, Júlio é a décima personalidade mais influente do Brasil entre os jovens de 14 e 17 anos, perdendo para nomes como Luciano Huck, Whindersson Nunes, Taís Araújo, Tatá Werneck, entre outros. Porém, ele nem sabe ao certo a quem ele atinge com seus vídeos.

— Só não entendo influenciar o que ou quem [com meus conteúdos], mas... [risos]. Costumo deixar bem claro que tudo o que faço não é para prejudicar. Tem até um quadro chamado Copa Cirrose que a gente bebe bebida alcoólica pra caramba, passa mal, mas deixo claro que aqui é para mostrar a realidade e as pessoas olharem e falar: “nossa, é assim que ele fica quando fica bêbado? Que bo***, não vou beber”. Então, deixo claro que aquilo é só uma brincadeira, uma diversão.

Mesmo sabendo que é seguido por milhares de jovens e que é fonte de inspiração para muitos deles, Júlio não se sente pressionado para falar de determinados assuntos ou, ainda, deixar de falar sobre alguma coisa.

— Até hoje não tenho preocupação com o que posto. Acho que quando a pessoa começa com um tipo de conteúdo, não pode mudar. Tem até gente que começou de um jeito, aí vai lá e corta palavrão, aí acaba perdendo a essência. E isso é muito importante no YouTube. Até hoje, não tenho receio de falar nada, nada, nada. E continuo seguindo com o mesmo conteúdo desde o início.

Apesar do sucesso inegável, o fenômeno da internet se considera uma pessoa como uma outra qualquer.

— Sou um cara que sempre fui muito pé no chão. Não me acho famoso. Sou um cara, como qualquer outro, que tem um canal no YouTube.

Júlio tem consciência de que a carreira de youtuber pode entrar em declínio e, por isso, sabe que precisa estar sempre se atualizando.

— Tenho isso na cabeça de que pode acabar. Imagino que pode chegar um momento em que vai dar uma caída. Mas nunca fico imaginando que vou me manter no topo, sei que pode dar uma caída. O importante é saber se renovar, ir para outros meios e se entender.

O youtuber ainda não tem muita noção de tudo o que está acontecendo em sua vida e, por isso, pega dicas com famosos.

— Tenho 23 anos, estou trabalhando na TV agora, tenho um canal beirando os 10 milhões de inscritos... Muita gente me pergunta como tenho cabeça para lidar com tanta coisa. Sou muito jovem ainda para ter noção dessas coisas, mas procuro me aconselhar com pessoas que admiro, que já têm uma carreira formada. Ultimamente, estou conversando muito com o Celso Portioli e com o Rafinha Bastos, que me espelho muito. Graças a eles estou com o pé no chão e vamos que vamos.

Já que o grande sonho de Júlio era ser ator, ele espera conseguir fazer algum filme em breve.

— Nunca fiz teatro, tentei fazer quando era mais novo, mas não fiz porque não tive o apoio da minha mãe. Ela começou a seguir a minha carreira depois que iniciei no YouTube, mas até hoje não fiz nada. Foi um negócio que surgiu do nada. Nunca fiz atuação, mas tenho muita vontade de estudar para isso. Fazer um filme daqui para frente seria muito legal.

Leia também:

Whindersson Nunes, youtuber número um do Brasil, fala sobre sucesso: "Sei que faço uma coisa boa"

Youtuber Christian Figueiredo atribui sucesso à espontaneidade: "Era um adolescente anti-herói"

"Não me sinto pressionada por ser uma influenciadora", diz youtuber Nah Cardoso

Acesse o R7 Play e assista à programação da Record quando quiser

    Access log