Pop Há quatro meses na ativa, dupla Bruno e Barretto prova que sucesso rápido no sertanejo tem um preço

Há quatro meses na ativa, dupla Bruno e Barretto prova que sucesso rápido no sertanejo tem um preço

Dupla foi formada há menos de um ano e já é sucesso nacional com hit Farra, Pinga e Foguete

Há quatro meses na ativa, dupla Bruno e Barretto prova que sucesso rápido no sertanejo tem um preço

Bruno e Barreto: sucesso relâmpago em 2015

Bruno e Barreto: sucesso relâmpago em 2015

Divulgação

No início de 2015, nem o maior fã de música sertaneja saberia responder quem são Bruno e Barretto. A dupla foi formada há menos de um ano e, nos últimos quatro meses, começou a realizar shows pelo País. Cada vez maiores, mais caros e em maior quantidade.

Poderia ser só mais uma história de um artista emergente. Mas a curta trajetória de Bruno e Barretto desafia até os casos mais bem-sucedidos de investimento em carreiras.

Os números justificam essa afirmação. Nesse meio tempo, eles emplacaram a música Farra, Pinga e Foguete, que se transformou em uma das mais tocadas do País em 2015. A dupla também garante um dos maiores cachês do momento e supera os rendimentos de muitos artistas consagrados no mercado.

Hoje, para ter a dupla em um show, o contratante precisa desembolsar em torno de R$ 150 mil. Com 20 datas mensais na agenda, Bruno e Barretto se transformaram em um dos nomes mais requisitados e lucrativos do momento sem sequer ter lançado um DVD.

Mas, por enquanto, isso não garante que eles já sejam milionários. Os rapazes, que ainda não têm nem 30 anos de idade, assinaram um contrato que lhes garante um salário mensal. Com o tempo, eles terão parcela maior na sociedade com os empresários.

Barreto garante que, embora a ainda precisem batalhar muito para garantir uma vida financeira mais confortável, muita coisa já mudou para melhor.

Antes de se tornar cantor profissional — algo que ele jamais imaginou na vida —, o cantor de Alvorada do Sul (PR) atuava como classificador de cereais com um salário de R$ 2.000.

— Eu levava uma vida de classe média baixa. Não passava dificuldades, mas vivia naquela batalha intensa. Hoje, já consegui realizar alguns sonhos, como comprar uma caminhonete, carro que sempre quis ter. Mas ainda somos mais famosos do que ricos.

Barretto diz que o próximo passo é comprar um apartamento. Quando tiver mais dinheiro, ele vai seguir o mesmo passo de outros músicos do estilo e investir em confinamento de gado.

Construção de um pop star

Ao contrário de duplas que são formadas por irmãos e amigos de infância, Bruno e Barretto ainda não podem considerar que compartilham uma grande amizade. Os dois se viram pela primeira vez há menos de 365 dias.

A parceria surgiu quando Barretto foi descoberto na internet. Ele publicava vídeos cantando sucessos da música sertaneja e começou a ganhar muitos seguidores. Com o tempo, ele despertou o interesse de vários empresários. Ao receber uma boa proposta para cantar profissionalmente, indicaram o parceiro ideal para ele. Foi assim que surgiu Bruno.

Dupla lucra até R$ 150 mil por show, mas ainda recebe "salário"

Dupla lucra até R$ 150 mil por show, mas ainda recebe "salário"

Divulgação

— Hoje, dividimos um apartamento, mas ainda falta intimidade entre nós, não posso negar. Somos amigos, mas não a ponto de ter liberdade total. A relação é construída à medida que nosso trabalho amadurece.

Nessa formação da dupla, os músicos também passaram por uma mudança no visual. Barretto optou por um estilo clássico, com bota, calça apertada e chapéu. Mais vaidoso, Bruno adotou um corte de cabelo moderno e começou a malhar.

— Nessa parte, não houve pressão dos nossos empresários. Eu comecei a me vestir melhor porque agora tenho dinheiro. Também comprei umas joias de ouro iguais a do Zé Rico porque acho bonito. E o Bruno resolveu mudar para se adaptar à cena atual.

Ostentação

Apesar do sucesso repentino de Bruno e Barretto ser uma surpresa até para algumas pessoas do mercado sertanejo, Barreto explica que, além do investimento e talento, os contatos que o empresário Carlesse tem foram importantes nessa fase inicial.

— Quantas duplas não começam impulsionadas por muito dinheiro e não chegam a lugar nenhum? Ninguém se garante só com isso. Não por muito tempo.

Mas se dinheiro não compra sucesso, ajuda a manter. Barretto admite que, com a exposição que a dupla ganhou, foi preciso chegar aos shows com equipamentos e estrutura cada vez mais profissionais.

— Quando sua música toca bem em todo o Brasil, não dá para chegar em um show e apresentar um espetáculo pobre. O sucesso tem que acompanhar a estrutura.

A partir de agora, o desafio da dupla é outro: como superar o sucesso de Farra, Pinga e Foguete, manter o valor do cachê e o espaço conquistado no mercado? Barretto diz que, pessoalmente, não sabe uma fórmula garantida para atingir isso. Mas tem certeza sobre o que fazer para não cair no ostracismo que muitas bandas passam após um grande sucesso inicial.

— Temos sete músicas com grande potencial para divulgar. Não quero ser famoso, quero conquistar o meu espaço e fazer muitos shows. Ser conhecido é consequência disso.

Acesse o R7 Play e assista à programação da Record quando quiser

    Access log