Ministério Público vai investigar "sexualização" na carreira de MC Melody e de outros funkeiros mirins

Brinquedo, Pikachu, Bin Laden, 2k e Princesa e Plebeia também estão sob suspeita

MC Melody é alvo de investigação do Ministério Público

MC Melody é alvo de investigação do Ministério Público

Reprodução Facebook

Na quinta-feira (23) o Ministério Público de São Paulo abriu um inquérito para investigar o conteúdo erótico e apelos sexuais em músicas e coreografias de crianças e adolescentes que cantam funk.

A Promotoria de Justiça de Defesa dos Interesses Difusos e Coletivos da Infância e da Juventude da Capital tem MC Melody como um dos principais alvos da investigação. MC Brinquedo, MC Pikachu, MC Bin Laden, MC 2k e MC Princesa e Plebeia também estão sob suspeita de "violação de direito ao respeito e à dignidade de crianças/adolescentes".

Melody, de oito anos, foi alvo de polêmica na internet após o pai, conhecido como MC Belinho, divulgar fotos e vídeos caseiros no Facebook que mostravam a menina em poses sensuais. 

Advogados especializados em guarda do menor dizem que a atuação de Belinho como empresário e orientador da filha viola leis e ele corre risco de perder a guarda de Melody e responder processo por exploração infantil.

Após a polêmica e de ter sofrido ameaças na internet, Belinho anunciou que está arrependido e que vai promover mudança na postura e nos trajes da filha. Em entrevista exclusiva ao R7, ele comentou que foi imprudente na divulgação do material da filha na internet, mas que, a partir de agora, não vai mais expor Melody de forma tão agressiva. A funkeira virou um dos assuntos mais comentados na mídia e ganhou textos de autoria de André Forastieri e Deborah Bresser, blogueiros do R7.

O inquérito foi aberto pelo promotor Eduardo Dias de Souza Ferreira. A investigação é fruto de denúncias e representações encaminhadas pela Ouvidoria do Ministério Público e por cidadãos que pedem avaliação legal sobre a exposição dos funkeiros mirins.