Música MC Bin Laden perde 45 kg e bomba na Europa, mas é barrado nos EUA

MC Bin Laden perde 45 kg e bomba na Europa, mas é barrado nos EUA

Funkeiro paulista celebra bom momento no exterior, comenta parcerias com artistas internacionais e anuncia que pretende virar muso fitness

Após perder 45 kg, MC Bin Laden bomba na Europa: 'Vou ficar monstrão'

MC Bin Laden: 45 quilos a menos em quatro anos

MC Bin Laden: 45 quilos a menos em quatro anos

Edu Garcia/R7

Há quatro anos, MC Bin Laden lançava o que se tornaria o maior sucesso da carreira dele até aqui: a divertida Tá Tranquilo, Tá Favorável, que já soma 100 milhões de visualizações no YouTube.

A música, que foi composta e gravada quando o ex-vendedor de sapatos tinha apenas um ano de carreira profissional no funk, o colocou numa posição privilegiada no gênero.

A dança do clipe virou febre em redes sociais e foi adotada até por Neymar para comemorar gols. O clipe simples, que mostrava Bin Laden sem camisa na praia, viralizou na internet.

E a música também ganhou uma nova versão com Lucas Lucco, na qual ele mescla o funk com trechos de sertanejo.

"Fizemos parceria até com Tommy Cash, que é da Estonia, e minha música tocou muito lá, sem eu nem esperar e conhecer direito o país"
MC Bin Laden

Mas, ao mesmo tempo que o sucesso garantiu exposição, isso não foi determinante para uma continuidade em alta.

A inexperiência e má gestão da produtora KL fizeram com que Bin Laden não tivesse uma continuidade com músicas que atingissem o mesmo patamar.

Mesmo após passar um período na então recém-criada e badalada Kondzilla Records, durante o ano 2016, reverter o tempo perdido não foi algo simples e o funkeiro partiu para a independência.

Bin Laden na piscina do condomínio em que mora

Bin Laden na piscina do condomínio em que mora

Edu Garcia/R7

Porém, Bin Laden teve uma sorte restrita a poucos funkeiros: ser abraçado por artistas internacionais. Nomes como Diplo e Skrillex passaram a tocar as músicas dele em festivais pela a Europa nesse mesmo ano.

Os dois, que também formam o duo Jack Ü, convidaram Bin Laden em 2016 para subir ao palco do Lollapalooza, em São Paulo, o que serviu com uma espécie de batismo e portão de entrada para o cantor tentar a sorte no exterior.

A partir de então, a carreira de Bin Laden sofreu uma virada e os olhos dos contratantes gringos ficaram voltados ao músico, que encantou dois dos mais proeminentes produtores e DJs de música eletrônica na atualidade.

"O Skrillex e o Diplo começaram a tocar Bololo Haha na Europa e isso abriu muito espaço. Primeiro fiz parceria com DJ Telio e DBZ, que são grandes em Portugal. E aí começou a vir um pessoal atrás da gente, convites por e-mail. E a gente aceitou tudo. Fizemos parceria até com Tommy Cash, que é da Estônia, e minha música tocou muito lá, sem eu nem esperar e conhecer direito o país", conta.

Com essa abertura do mercado internacional, Bin Laden chegou até mesmo a ser convidado para realizar um show no MoMA, o Museu de Arte Moderna de Nova York, na 19ª edição do Warm UP Festival (que reúne "o melhor de músicos, DJs e sons experimentais - locais e internacionais - de diferentes gêneros", segundo o próprio evento), em 2016.

"Meu passaporte tá cada vez mais carimbado"

"Meu passaporte tá cada vez mais carimbado"

Edu Garcia/R7

Mas foi a partir daí que Bin Laden notou que teria uma segunda dificuldade a enfrentar após conhecer os altos e baixos do mercado nacional: com um nome artístico inspirado no terrorista acusado de ser o mentor dos ataques terroristas às Torres Gêmeas, em Nova York, no ano de 2001, ele teve o visto de trabalho negado para entrar no país. A justificativa oficial do consulado, no entanto, é de que o artista não entregou exame toxicológico obrigatório a tempo na tentativa de entrar no país (o que não é comum).

"Meu passaporte tá cada vez mais carimbado, então em breve acho que vai rolar o visto para trampar. Até para o Egito e Dubai eu já fui. Fora que, depois do Brasil, os Estados Unidos é o pais que mais cogita minha contratação. E, se eu entrar, vai ampliar muito o trabalho. Já pensei várias vezes em trocar o nome artístico, mas agora já não dá mais. Já questionei muito se fiz a coisa certa ao adotar esse nome, mas na época fazia sentido. Eu tinha mó cara de maluco. Hoje não faria isso com certeza", reflete.

Parcerias internacionais

Mas, se os Estados Unidos ainda fecham as portas ao Bin Laden do funk, a Europa e a América Latina o receberam de braços abertos. O cantor tem realizado parcerias com artistas de diversos países e algumas das músicas viram clipes também.

Com a cantora holandesa Martine ele gravou o tenebroso clipe de Sucia. Com o espanhol C. Tangana, o dueto gerou o hit Pa' Llamar Tu Atención, com 20 milhões de visualizações no YouTube e 12 semanas entre as mais tocadas nas plataformas de streaming do país.

MC Bin Laden: "Quero ficar monstrão"

MC Bin Laden: "Quero ficar monstrão"

Divulgação

Na música Madrugada, a parceria é intercontinental: o funkeiro se uniu com os italianos Gue Pequeno e DJ Shorty e a cubana A-Wing. E, por último, uma união com os dominicanos Yomel El Meloso, e a dupla Big Chriss & Draco Deville, na faixa Bum Bum. Além disso, o cantor tem feito uma série de shows por lá, com destaque para a lotada apresentação no Rock in Roma, na Itália.

"Não me comparo ao sucesso internacional da Anitta. Até porque ela é mais pop e sou um artista com pegada mais experimental e underground"
MC Bin Laden

Essa aproximação com o mercado externo tem motivado Bin Laden a estudar castelhano para realizar outros dueto e talvez até morar fora. Além disso, o funk do paulista tem se misturado ao reggaeton e à música eletrônica nessa nova fase.

O que gera o questionamento: a ideia seria trilhar caminho parecido com o de Anitta? Bin Laden descarta a comparação. "Não me comparo ao sucesso internacional da Anitta. Até porque ela é mais pop e sou um artista com pegada mais experimental e underground. No entanto, assim como ela, tenho feito parceria com a América Latina inteira. E o pessoal quer mesmo é esse meu estilo diferenciado. Por isso não me comparo a ninguém e nem pretendo mudar", avisa.

Estética e gastronomia

Além do som, uma mudança que é impossível desprezar em Bin Laden desde o sucesso de Tá Tranquilo, Tá Favorável é na aparência do cantor. Em quatro anos, ele perdeu 45 quilos. Com 1,86m, conta que chegou a pesar 150 quilos. O sobrepeso aliado a doenças e dificuldade de encontrar roupas motivou o cantor a procurar ajuda para emagrecer e começar a praticar esportes.

Agora, ele conta que corre 10km sempre que pode, faz musuclação e muay thai. Apesar de já ter perdido bastante peso, a meta do funkeiro é chegar nos 90 quilos. Tarefa que, ele mesmo reconhece, tem sido relativamente atrapalhada pelo acesso inédito a pratos que ele nunca havia experimentado antes de conhecer a Europa.

"Chegou uma época que eu não me sentia mais bem para comprar roupa e a saúde começou a ficar ruim. Ali era tristeza pura"
MC Bin Laden
Nova forma física é exaltada pelo músico nas redes sociais

Nova forma física é exaltada pelo músico nas redes sociais

Divulgação

"Todo lugar que a gente faz show, aproveitamos para dar um 'peão' e conhecer as comidas. Em Portugal, eu não curti o bacalhau, não. Mas o pastel de Belém de lá é maravilhoso. Quando estou nessas viagens, faço o dia do lixo, mas lá fora eu treino normal. Eu emagreço para comer mesmo. Tava gordão, não podia comer mais nada", lembra, para em seguida revelar que, apesar dos clipes sem camisa, ele tinha vergonha do próprio corpo. "Eu tinha vergonha de tirar a camisa antes do clipe de Tá Tranquilo, Tá Favorável. Nunca confessei isso. Tenho muitas estrias na barriga. A ideia de fazer o clipe sem camisa foi para chamar atenção e aí eu parei de me preocupar e me aceitei. Mas chegou uma época que eu não me sentia mais bem para comprar roupa e a saúde começou a ficar ruim. Ali era tristeza pura".

A meta de Bin Laden não é apenas emagrecer. Aos 25 anos, ele quer mais: ficar "monstrão" e "ser patrão". E as duas coisas, segundo ele, estão em processo. Ex-morador da Vila Progresso, no extremo leste de São Paulo, o funkeiro já conseguiu comprar um apartamento em um bairro tradicional da zona sul. Agora falta só mesmo o corpo de muso fitness e, quem sabe, uma namorada. "A meta é ficar monstrão para tirar umas fotos legais para as minas no Instagram. O Bin Laden gordão, cabelo preto e branco é um personagem do passado. Eu evoluí. Por isso quero vir com uma nova imagem, shape da hora e o projeto é ficar monstrão, além de relatar que o moleque da quebrada virou patrão. Não é ostentação, é superação", garante.