Música Projota cobra políticos em nova música: "Vão fazer alguma coisa?"

Projota cobra políticos em nova música: "Vão fazer alguma coisa?"

Sr. Presidente, lançada nesta quinta-feira (16), critica a situação atual do Brasil; cantor torce para não precisar fazer mais canções com esse tema

Nova música do Projota

O rapper acredita que os políticos que são corruptos não vão gostar da música

O rapper acredita que os políticos que são corruptos não vão gostar da música

Reprodução/Instagram

Às vésperas das eleições, Projota lança nesta quinta-feira (16) a música Sr. Presidente, uma crítica a atual situação política do País. O cantor explica que a canção nada mais é do que uma forma de cobrar atitude dos governantes mediante a tantos problemas sociais.

Para Projota, a letra da música é forte, porém real. Ele mesmo relata que sofreu quando, no passado, precisou usar o sistema público de saúde.

— Hoje, eu posso pagar um hospital particular, mas eu perdi minha mãe em um hospital público. Sei exatamente como é, vivi na pele o que é o sistema público de saúde. Quero de alguma maneira expor para os governantes: "Olha como é a situação, é assim que funciona. Vocês vão fazer alguma coisa?". 

Projota imagina como será a reação dos políticos ao ouvir a nova canção e ressalta que, apesar do nome, ela não é direcionada a ninguém em específico.

— Se ele [governante] se enquadra nesse quesito de corrupção e tudo mais, ele não vai gostar muito não [risos]. Agora, se o cara está lá pra fazer a diferença, ele vai cantar essa música. É uma figura imaginária na minha cabeça que representa todos os [políticos] que a gente teve e o que estiver por vir agora. Espero que com o outro [Presidente] eu possa fazer uma nova carta, falando: "Sr. Presidente, obrigado, nosso País tá maravilhoso, a gente acabou de passar dos EUA" [risos].

Projota torce para que não precise mais cantar temas críticos

Projota torce para que não precise mais cantar temas críticos

Brazil News

Em outro trecho do single, Projota lamenta o fato de os brasileiros não terem uma referência política positiva e cita um povo "órfão do seu pai da nação".

Vale lembrar que esta não é a primeira vez que o cantor apresenta um trabalho com uma temática crítica. Em Mayday, lançado em junho deste ano, ele também reforçou a luta da sociedade mediante aos problemas atuais do cotidiano. Projota reconhece a importância de a música ir além do entretenimento, mas torce para que temas políticos não sejam mais abordados nas letras das canções.

— Queria que não precisasse cantar mais nenhuma [música] política, queria muito que fosse minha última. Tenho certeza que quando o Renato [Russo] fez Que Pais É Esse ele também não queria que agora, em 2018, o Projota lançasse uma música falando da situação política. E meu objetivo é esse: torço pra que não precise mais cantar. Mas hoje é assim e ao que tudo indica vai levar um tempo ainda [pra mudar]...

O clipe de Sr. Presidente, que também foi lançado nesta quinta no YouTube, traz o rapper sentado no sofá de uma sala. Diversas imagens são projetadas no local e sobre o corpo de Projota. Ele explica melhor o conceito exibido no vídeo.

— São histórias, revoluções e situações difíceis que aconteceram no País ao longo dos anos. É como se essas coisas [projeções das imagens] estivessem saindo de dentro da minha cabeça e tomando a sala. É como se o que eu estou cantando estivesse estampado nas paredes da sala. A gente também fez projeções nos prédios de São Paulo, uma imagem imensa minha aparece projetada nos prédios. Isso ficou muito legal, é como se a cidade estivesse cantando. 

Assista ao vídeo

    Access log