Pop Netinho diz que teve apoio de Maria da Penha: "Ela admirou minha posição em admitir a agressão"

Netinho diz que teve apoio de Maria da Penha: "Ela admirou minha posição em admitir a agressão"

Cantor e esposa se agrediram no ano em 2005

  • Pop | Do R7

Netinho assume agressão à ex-mulher Sandra Mendes

Netinho assume agressão à ex-mulher Sandra Mendes

Reprodução

Netinho resolveu esclarecer todas as polêmicas em torno de sua carreira. As declarações foram concedidas à repórter Thatiana Brasil, no Domingo Espetacular exibido em 25 de janeiro pela Record.

O músico assumiu que, de fato, agrediu a companheira Sandra Mendes. O caso aconteceu em 2005 e o cantor ressalta que também apanhou da mulher. Segundo ele, o relacionamento foi afetado por traições mútuas, que resultaram nessa briga física.

— Tivemos uma briga de casal em que ambos nos agredimos. Na época, também fui traído. Não tem santo nessa história. Não é só ela a errada. Eu não havia sido correto em outras situações. Hoje somos colegas. Temos uma relação cordial. Na época, pedi desculpas para ela e para todo o Brasil. Independentemente de quem está certo ou errado, a mulher vai ser sempre o lado mais frágil. Hoje sei que correto seria eu ter saído de casa com as minhas coisas, mesmo me sentindo humilhado.

Netinho conta que quando apresentava o programa Domingo da Gente, na Record, recebeu Maria da Penha, a biofarmacêutica cearense que, em 1983, foi alvo das agressões do marido Marco Viveros, que é responsável por tê-la deixado paraplégica. Maria lutou na justiça para que seu marido fosse condenado por agressão doméstica, o que aconteceu apenas 19 anos depois. Ela inspirou a lei brasileira que leva o seu nome, criada para punir homens que agridem física ou psicologicamente a esposa. 

— Ela disse que era muito bonito eu ter coragem de falar e admitir um assunto que acontece em milhares de lares no País e que ninguém assume.

Netinho e Sandra Mendes: caso ganhou repercussão em 2005

Netinho e Sandra Mendes: caso ganhou repercussão em 2005

Divulgação

Mas esse não é o único caso de agressão em que Netinho se envolveu durante a carreira. Uma comissária de bordo chegou a processar o cantor pelo mesmo motivo. Netinho nega.

— Não é verdade. Ela se aproveitou da minha fama. As pessoas são capazes de fazer de tudo para te extorquir. Até então, eu pensava que era amigo de todo mundo. 

Sobre o episódio em que deu um soco no rosto do humorista Rodrigo Scarpa, o Vesgo, Netinho não demonstrou arrependimento e disse, inclusive, que ele apenas se defendeu.

— Soco no Vesgo não foi agressão, foi uma defesa. Já fizemos as pazes. Ele veio até mim e conversamos. Tá tudo certo. Bola pra frente. 

Negritude Jr

Atualmente, Netinho está à frente da banda Cohab City, que ainda traz três outros integrantes da formação original do Negritude Jr: Lino, Fabinho e Wagninho. Se dependesse do vocalista, a ideia era reativar a banda com todos os membros que estavam no início do conjunto de pagode. Mas isso, segundo ele, não foi possível por conta de desentendimentos que já duram 14 anos.

Negritude Jr: formação original não pretende se reunir

Negritude Jr: formação original não pretende se reunir

Divulgação

— Eu fui convidado a sair da banda. Talvez porque me envolvia em muita coisa ao mesmo tempo. Após abandonar o grupo, continuei tendo problemas. Sofri uma série de ações trabalhistas e respondi todas porque só eu tinha patrimônio na época. Tive a conta bloqueada, bens bloqueados. Mas arquei com tudo, pois tinha condições.

Em 2003, a banda ganhou uma ação para proibi-lo de usar a marca Negritude Jr em negócios. No ano passado, Netinho queria retomar o grupo, mas só Wagninho, Fabinho e Lino aceitaram. No início, os quatro usaram o nome Negritudiando, mas os demais integrantes pediram para que fosse mudado para não haver confusão.

Taís Araújo

Mas nem tudo é confusão na trajetória de Netinho. Na entrevista, o músico recorda o relacionamento de quatro anos que manteve com a atriz Taís Araújo durante a década de 90.

O cantor deixou claro que o namoro não terminou por pressão familiar por parte dos pais da atriz e afirmou que ela foi um grande amor na vida dele.

Netinho de Paula e Tais Araujo em foto dos anos 90

Netinho de Paula e Tais Araujo em foto dos anos 90

— A mãe dela não queria nosso namoro porque eu já tinha filhos. Ela estava só cuidando da Taís. Entendo. Ficamos quatro anos juntos. Foi uma história muito bonita. Ela foi um grande amor. Éramos novos. Nos conhecemos através da Zezé Motta e da Leci Brandão. Ela estava na novela Xica da Silva e gostava muito do Negritude. Fizemos amizade e sete meses depois começamos a namorar.

Netinho diz que, com o passar do tempo, o casal foi se distanciando e novos objetivos profissionais e pessoais motivaram o término.

— Separamos porque crescemos e ela tinha outros objetivos e sonhos. Nós dois conhecemos outras pessoas. Ela morando no Rio e eu em São paulo. Ficamos seis meses separados. Nesse meio tempo, comecei a sair com uma pessoa e a menina engravidou. A Taís não quis voltar por causa disso. Ela ficou brava porque pensava que eu tinha conhecido a menina na época do nosso namoro. Depois ficou com mais raiva porque batizei minha filha de Dandara, que era o nome que combinamos dar para o nosso neném.      

Últimas