Pop Revista Mad anuncia fim de publicação mensal com conteúdo inédito

Revista Mad anuncia fim de publicação mensal com conteúdo inédito

A partir da próxima edição, revista de humor satírico fundada em 1952 só publicará material novo nos especiais de fim de ano.

A partir da próxima edição, revista de humor satírico fundada em 1952 só publicará material novo nos especiais de fim de ano.

Depois da próxima edição, revista de humor satírico fundada em 1952 só publicará material novo nos especiais de fim de ano

Depois da próxima edição, revista de humor satírico fundada em 1952 só publicará material novo nos especiais de fim de ano

Alamy

A revista americana de humor satírico Mad Magazine anunciou, após 67 anos de existência, que não publicará novas edições mensais com conteúdo inédito.

Após o volume que deve sair em agosto, os próximos trarão material publicado em anos anteriores com uma capa nova. Esse material impresso estará disponíveis apenas em lojas de quadrinhos e para assinantes.

Com humor no YouTube, pequenos agricultores batem 80 milhões de visualizações em sete meses A história por trás do flamingo de plástico rosa, um estranho símbolo kitsch do otimismo americano

A Mad era conhecida pelas capas impactantes, com paródias tanto sobre temas do cotidiano quanto sobre programas de televisão famosos. Também era popular o mascote Alfred E. Newman, uma criança com os dentes da frente separados que frequentemente estampava as capas.

Fundada em 1952, a publicação estreou como história em quadrinhos e três anos depois mudou para o formato de revista.

"Depois da edição #10, neste outono, não haverá conteúdo novo - exceto pelos especiais de fim de ano, que sempre serão inéditos. A partir da edição #11, a revista trará os clássicos, o melhor e o mais nostálgico dos últimos 67 anos", declarou à ABC a DC Comics, editora responsável pela publicação.

A revista foi publicada em diversos países, a exemplo do Brasil, onde chegou em 1974 e circulou até 2017, entre idas e vindas e diferentes editoras.

Entre os muitos leitores que expressaram publicamente a tristeza pela notícia está o cantor e comediante "Weird Al" Yankovic.

"Não consigo descrever o impacto que a revista teve em mim quando era garoto - é basicamente a razão que me fez virar um "esquisitão" ("weird"). Adeus a uma das melhores instituições americanas de todos os tempos."

O comediante Brock Baker compartilhou uma imagem de uma carta enviada por um dos editores depois de ele, aos 13 anos, ter mandado sugestões de piadas e de tirinhas para a revista.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=D5e2rm5qlXc

https://www.youtube.com/watch?v=upkhZui15nk

https://www.youtube.com/watch?v=YIytHkR1Cvc