Blog da DB Mães, aprendam a valorizar a convivência com seus filhos jovens

Mães, aprendam a valorizar a convivência com seus filhos jovens

Eles são recém-adultos e dão trabalho? Ótimo! Saiba que você tem muito a aprender sobre você ao conviver com suas 'crianças' e seus amigos

Mães, aprendam a valorizar a convivência com seus filhos jovens

Você conhece seu filho? Tem certeza?

Você conhece seu filho? Tem certeza?

REUTERS/Kim Kyung-Hoon/24.11.2018

Este post é para mulheres como eu,  sim, as senhoras, aí na faixa dos dos 50, 55 anos. Você conhece o seu filho? Sabe quem é a pessoa que você colocou no mundo há uns 20, 30 anos? Tem certeza?

Conheci um casal de jovens no fim de semana, ele e ela com 22 anos. Ela, criança Waldorf, uma experiência familiar suave a moderna. Já ele…

A mãe do garoto achou uma camisinha na gaveta quando ele tinha 14 anos. Quase faleceu. V.C. (nome ocultado por respeito a ele), era um menino absolutamente normal para os padrões.  Mas a mãe fez um escândalo. 

Deveria, esta mãe, ter achado ótimo que seu filho pré-adolescente já tivesse consciência de usar camisinha ao transar, evitanto não só “netos” indesejáveis como doenças incuráveis. 


Porém, ela optou pela falta de diálogo, pela distância, pelo espanto ao constatar que seu bebê estava virando um rapaz.

Essa mulher deu muita sorte.  V.C. é um cara tranquilo, não se incomodou com aquele episódio, e seguiu curtindo a vida MENTINDO PARA A MÃE. Sim, porque se você ainda acha que eles vão deixar de viver está muito enganada.

Jovens vão dar um jeito de ter experiências de vida, quer que você queira, ou não. Quando eles sentem que há espaço para contar o que está rolando, vão dizer a verdade. Outros, como V.C., vão fazer sem que os pais saibam. Mas vão fazer.

Minha dica é bem simples: guarde o seu preconceito na gaveta. Abra os ouvidos. Abra as portas da sua casa para os amigos dos seus filhos. Ouça as conversas. Saiba os interesses deles. Ouça, com eles, aquela playlist que dói na alma. Mas se embrenhe no universo deles. Nos interesses deles. Só assim você será capaz de conhecer essas pessoas que você colocou no mundo.

Como pais e mães temos o dever de zelar pela segurança física, moral e espiritual de nossos filhos. Mas eles precisam conhecer o mundo. E isso implica riscos. Tenha, com eles, acordos claros. Me diga onde está, aonde vai, com quem. Me acorde quando chegar. Mande o print do uber.  Mas deixe que vivam.

E instaure a verdade como única moeda possível na relação entre vocês.  Fiquei com muita dó da mãe de V.C..  Ela tem um menino de ouro em casa e não sabe disso. Sua necessidade de ser  “enérgica” e fingir que tem controle sobre a vida do filho só fez uma coisa: afastá-lo  Ela não o conhece. Eu sei mais de V.C. em poucas horas de bate papo do que mãe dele em 22 anos. 

Conheça seus filhos. Saiba do que eles gostam. Com quem andam. O que sonham. O que esperam da vida. E o que esperam de você. Se interesse por essas pessoas. Criar outro ser humano é uma bênção, não joguem fora essa oportunidade por bobagens, ok?


Beijo para o V.C.. Você sabe quem vc é!

    Access log