Blog da DB Variar o cardápio? Pesquisa mostra motivos que levam mulheres a trair 

Variar o cardápio? Pesquisa mostra motivos que levam mulheres a trair 

Levantamento também apontou o que elas fariam diferente na procura por um amante 

traição

Getty Images

Nem adianta torcer o nariz ou achar um absurdo. Fato é que as pessoas traem e muitas utilizam sites especializados em puladas de cerca, como é o caso da Ashley Madison, baita sucesso mundial no segmento. O mecanismo não deixa de ser curioso: buscar online aquilo que falta dentro de casa. 

Pesquisa realizada com 1126 usuárias da plataforma apontou os motivos pelos quais se inscrevem na plataforma e procuram um relacionamento extraconjugal.

De acordo com a pesquisa, explorar novos desejos é a principal razão pela qual elas traem (28%). As infiéis estão constantemente tentando preencher um vazio em suas vidas, em seus casamentos e em seus relacionamentos.

Algumas querem simplesmente fazer sexo porque seu parceiro tem pouco ou nenhum desejo sexual (18%). Outras já estão numa fase diferente do jogo amoroso e buscam uma experiência poliamorosa (13%). Apenas 12% das entrevistadas disseram que estão à procura de amor (12%). Para 9% fazer amizade é motivo suficiente para experimentar um relacionamento extraconjugal. Solidão a dois em casa dá nisso, né, mores? 

No entanto, as adúlteras também revelaram o que fariam diferente se tivessem que começar um relacionamento extraconjugal de novo. A primeira coisa que a pesquisa apontou é que elas perderiam mais tempo procurando o parceiro extraconjugal ideal (22%).  Muitas também falaram que seriam mais explícitas sobre o objetivo da relação (13%) e gostariam de ser mais discretas quando se comunicam com seus casos (13%). Sem discrição, a casa cai.

Pesquisa ouviu 1126 usuários dos serviços do site para quem quer trair o parceiro

Pesquisa ouviu 1126 usuários dos serviços do site para quem quer trair o parceiro

Divulgação


“Essa pesquisa deu uma visão valiosa sobre a mente de um adúltero. O principal é ver que elas não falam em colocar um fim no relacionamento extraconjugal, mas melhorar a experiência", afirma Isabella Mise, diretora de comunicações da Ashley Madison. 

A grande maioria, porém, não mudaria nada sobre seus casos extraconjugais se tivessem a chance: 93% se disseram muito felizes com o resultado de seus affairs. Os depoimentos de algumas usuárias confirmam os números. 

“Encontrar um homem com uma cultura diferente ou alguém mais alto ou bem mais velho – algo que meu marido nunca será, é algo OK”, afirma Jennifer*, uma mulher em seus 30 e poucos anos, do Canadá.

“O sexo é o melhor que já tive”, afirma Vanessa*, uma mulher de 40 anos, do Reino Unido. “Ele conhece meu corpo como ninguém nunca conseguiu antes. Eu me sinto viva e curada quando estou com ele”.

“Desde que conheci alguém na Ashley Madison, e revigorei a parte sexual da minha vida romântica, sou uma esposa melhor do que era”, afirma Katerina, uma mulher de 50 anos,  dos EUA.

Segundo Tammy Nelson, terapeuta sexual e de relacionamento e autora do livro The New Monogamy: Redefining Your Relationship After Infidelity, ao voltar ao seu casamento após ter um affair, a maioria das pessoas não pensa nisso e acha que o caso foi inútil.  “A parte mais difícil é lidar com as consequências quando retorna, com a desonestidade. Mas quando o affair não é descoberto, faz sentido que a pessoa se sinta satisfeita com o que está fazendo”.

Top 5 coisas que adúlteras fariam diferente se pudessem começar tudo de novo (com o amante)

1. Eu passaria mais tempo procurando o parceiro extraconjugal ideal – 22%
2. Eu seria mais explicita e direta sobre o que espero ganhar desse affair – 13%
3. Eu escolheria um modo mais discreto de me comunicar com meu parceiro extraconjugal – 13%
4. Eu escolheria não divulgar minha infidelidade para ninguém – 10%
5. Eu aumentaria a frequência com a qual encontro meu amante – 8%

    Access log