Zeca Pagodinho e Rita Lee terão vidas transformadas em filmes

Astros da música nacional ganharão produções que resgatam as trajetórias de sucesso deles; Roberto Carlos também será homenageado

Zeca pagodinho filme, rita lee filme, erasmo carlos filme, roberto carlos filme

Zeca Pagodinho: sambista irá ganhar homenagem no cinema

Zeca Pagodinho: sambista irá ganhar homenagem no cinema

Divulgação

Após os sucessos dos filmes biográficos de Elis (2016) e Tim Maia (2014), outros astros da música nacional serão homenageados no cinema. Zeca Pagodinho, Rita Lee, Roberto e Erasmo ganharão tributos nas telonas em breve.

Neste ano, vai estrear uma cinebiografia ficcional que aborda a vida e a carreira de Erasmo Carlos. Minha Fama de Mau foi filmado em 2016 e tem Chay Suede como protagonista. O período abordado na trama é o do início da carreira do músico e tem desfecho por volta de 1966. A estreia está programada para o primeiro semestre deste ano.

Já Zeca Pagodinho terá o seu desenvolvimento profissional retratado em filme ainda sem previsão de estreia e sem elenco definido. No momento, o projeto passa por uma fase de pré-produção. Inspirado no livro Zeca Pagodinho: Deixa o Samba me Levar, dos jornalistas Jane Barboza e Leonardo Bruno, o filme será produzido por Roberto Faustino e já foi aprovado pelo próprio Zeca. 

Leia mais: Roberto e Erasmo “nunca gostaram que ameaçassem seus reinados”, diz melhor amigo de Tim Maia

Rita Lee também vai parar nas telonas. O filme será baseado na biografia da cantora e roteiro do filme será assinado por Patricia Andrade e Nelson Motta. A atriz que interpretará a cantora ainda será escolhida por meio de testes e o lançamento deve ficar para 2020.

Nelson Motta também está envolvido no roteiro do filme que conta a história de Roberto Carlos e que falará abertamente, pela primeira vez, sobre o acidente na infância que fez o músico perder uma das pernas.

Breno Silveira irá dirigir o filme, que terá muitos trechos baseados na biografia Roberto Carlos em Detalhes, de Paulo Cesar Araújo, censurada pela Justiça há dez anos. 

    Access log