Keila Jimenez Globo troca crise política por Copa em seus noticiários, diz estudo

Globo troca crise política por Copa em seus noticiários, diz estudo

Levantamento inédito mostra que os inúmeros problemas políticos do país perderam a vez para Neymar e sua turma nos jornalísticos

Entra Neymar e sai Temer dos noticiários

Entra Neymar e sai Temer dos noticiários

Reprodução

Operação Lava Jato? Greve dos caminhoneiros? Alta do dólar? Eleições? Não. Neymar, Tite, Cristiano Ronaldo, Messi...

Para quem defende que o clima de Copa é instrumento de pura alienação no Brasil, o estudo abaixo é um prato cheio.

Dois dos principais noticiários da Globo praticamente trocaram o principal assunto de suas pautas, no caso, a crise política, por futebol. Mais precisamente o Mundial de futebol na Rússia, que terá exclusividade de transmissão da Globo na TV aberta.

Pelo menos é isso o que aponta o levantamento realizado pela Controle da Concorrência, empresa que monitora inserções comerciais para o mercado, obtido com exclusividade pelo KTV.

No início do mês, no dia 4 de junho, o "Jornal Hoje" dedicou aos assuntos políticos cerca de 19 minutos de sua totalidade. A Copa ficou só com 2 minutinhos. No mesmo dia, o "Jornal Nacional" falou da crise política por 17 minutos, e dedicou 8 minutos ao Mundial da Rússia.

No dia 8, o "JH" tratou de notícias políticas por 17 minutos, ante 6 minutos falando sobre Neymar e sua turma. Já o "JN" teve 23 minutos de noticiário político, e 4 minutos falando de Copa.

O mesmo levantamento mostra que o jogo virou nesta semana, mais precisamente na segunda-feira, dia 11.

O "Jornal Hoje" da data foi praticamente tomado por assuntos relacionados a Copa da Rússia, que ocuparam 28 minutos de sua totalidade. Política ficou só com quatro minutinhos do noticiário. Foi um aumento de mais de 1.000% com relação ao tempo destinado ao Mundial no último dia 9.

O mesmo ocorreu com o "Jornal Nacional", que dedicou ao Mundial 29 minutos de reportagens e links ao vivo. Temer e trupe foi escanteado, e ficou só com quatro minutos do noticiário. Galvão e cia tomaram para si mais de 80% do jornal.

Nesta quarta-feira, dia 14,  o "Jornal Hoje" manteve o foco na Copa, com 29 minutos dedicados ao assunto, e apenas seis minutos falando sobre política. Já o "Jornal Nacional" deu uma equilibrada. Tratou de política por 14 minutos e falou de Copa por 20 minutos.