Distorções e torções do Brasil barroco

Jorge Maranhão reflete sobre a influência do barroquismo no País

Reflexões do barroquismo

Reflexões do barroquismo

Divulgação

"Hoje é reconhecido que, se não fosse sua atuação em prol da Independência, o Brasil teria experimentado a mesma fragmentação das repúblicas bolivaristas do restante da América Latina." José Bonifácio de Andrade e Silva (1763-18380). [Será mesmo?]

A torção do olhar barroco expresso nas artes plásticas desde os idos do século 16 europeu, como as retorções em nossas artes barrocas e nas figuras retóricas de nossas letras são comoventes.

Todavia, as distorções entre o ver o e crer, o pensar e o agir, entre o código moral e a conduta social, entre a lei e a observância da lei na vida em sociedade, sobretudo no cumprimento dos deveres cívicos e políticos entre governantes e governados, parecem, para o autor, uma transposição cultural desastrosa.

Pois bem, em Destorcer o Brasil, Jorge Maranhão examina uma leitura interessante do período barroco e suas incongruências. Ele defende a tese de que o Brasil chegou a um estágio que não anseia apenas por mudanças políticas, mas, sim, por alterações em todo o complexo cultural, inclusive no comportamento social de toda a cidadania, desde as manifestações de 2013.

Destorcer o Brasil - De sua Cultura de Torções, Contorções e Distorções Barroquistas
400 páginas
R$ 60
Editora Ibis Libris

    Access log