TV e Entretenimento Narjara Turetta fala da importância de 'Jezabel' após morte da mãe

Narjara Turetta fala da importância de 'Jezabel' após morte da mãe

Atriz, que vai interpretar a personagem Dalila na superprodução da Record TV, está de volta à emissora após 18 anos da participação em 'Vidas Cruzadas'

Narjara Turetta fala da importância de 'Jezabel' após morte da mãe

Atriz estreou na televisão, em 1971, na tela da Record TV

Atriz estreou na televisão, em 1971, na tela da Record TV

Reprodução/Instagram

Jezabel veio como um alento, um balsamo, como um: ‘A vida continua’”. É assim que Narjara Turetta descreve a importância do convite para viver a personagem Dalila na macrossérie da Record TV, quase seis meses após a morte da mãe, Maria Antônia. A atriz de 52 anos, que estreou na emissora aos quatro anos e meio como caloura, se prepara agora para a segunda passagem pela teledramaturgia da rede de televisão.

Em conversa com o R7, a artista falou qual o significado do papel neste momento da vida. Ela conta que, a princípio, fez um teste para a trama e, na sequência, viajou para os Estados Unidos a convite de uma amiga. Entretanto, os planos mudaram com a confirmação da participação na superprodução bíblica, em dezembro de 2018, e, por isso, decidiu voltar ao Brasil antes do previsto. 

— Eu encarei, voltei, e foi muito importante porque eu havia perdido a minha mãe há apenas dois meses. Meu coração estava de luto, aquebrantado, sem perspectiva nenhuma, também sem muita vontade de nada, eu confesso.

Dalila

Narjara é Dalila em 'Jezabel'

Narjara é Dalila em 'Jezabel'

Edu Moares/Record TV

Pela primeira vez em uma trama bíblica, participar de uma produção que recria um período histórico-religioso tem sido uma “novidade gratificante” à atriz.

— Está sendo muito gostoso. Um personagem bíblico tem um peso a mais, um gostinho a mais de contar uma história da Bíblia, uma história sagrada. Embora a Dalila não esteja retratada na Bíblia, pois Elizeu está descrito apenas como Eliseu, filho de Safate, mas é óbvio que ele teve uma mãe.

A personagem é apresentada por ela como uma mãe extremosa, que em alguns momentos é superprotetora, e aponta a compulsão alimentar de Dalilia como um toque de humor à macrossérie.

— Acaba sendo engraçado para poder dar um toquezinho de humor nesta história que é bem pesada e, portanto, verdadeira da Bíblia, onde retrata Jezabel e o rei Acabe.

"Eu tenho muita honra de que os meus quase 48 anos de carreira começaram na Record TV"
Narjara Turetta

Questionada sobre possíveis semelhanças entre ela e a ficção, Narjara afirma que não há nada em comum e, que, isso é um fator positivo para a construção das nuances do papel. Entretanto, consegue vislumbrar a fé em Deus como ponto de ligação entre as duas.

— Ela é completamente diferente de mim. Não sou comilona, não tenho filhos, jamais seria como ela, decidir o que meu filho faria, decidir a vida dos meus filhos. A minha mãe nunca decidiu a minha. O que é mais bacana é que eu não tenho nada a ver com a Dalila, a não ser a fé em Deus.

Televisão

Narjara Turetta começou a carreira na Record TV, em 1971, recitando monólogos e apresentando a dupla de palhaços Arreli e Pimentinha.

— Eu tenho muita honra de que os meus quase 48 anos de carreira, que completarei agora em maio, começaram na Record TV, em São Paulo. Foi ter começado na emissora que me deu cancha para ir continuando, para depois fazer um novo trabalho no canal, em 1975, chamado Essa Gente Inocente, sob a batuta de Milton Franco.

Atriz deu vida a personagem Dona Celma em 'Vidas Cruzadas'

Atriz deu vida a personagem Dona Celma em 'Vidas Cruzadas'

Reprodução/Record TV

O primeiro papel em uma telenovela da emissora foi em Vidas Cruzadas, que foi ao ar de 2000 a 2001, com a personagem Dona Celma. A participação na produção escrita por Marcos Lazarini é apontada pela atriz como uma das melhores da vida dela. 

— Eu costumo dizer que foram os melhores cinco meses da minha vida. Foi muito bom, em 2000, ter trabalhado na Record TV, na Barra Funda, em São Paulo, fazendo a Dona Celma. Foi maravilhoso.

A atriz, que estreou em novelas na TV Tupi, acumula ainda trabalhos em produções como Malu Mulher, Baila Comigo, Selva de Pedra, Páginas da Vida, Morde & Assopra, Salve Jorge, Babilônia e O Outro Lado do Paraíso, todas da TV Globo.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Thiago Calil