TV e Entretenimento Porta dos Fundos completa um ano de aniversário: “Não imaginávamos todo esse sucesso”

Porta dos Fundos completa um ano de aniversário: “Não imaginávamos todo esse sucesso”

Ao R7, Antônio Pedro Tabet fala sobre o fenômeno que é sensação na internet

Porta dos Fundos completa um ano de aniversário: “Não imaginávamos todo esse sucesso”

Antônio Pedro Tabet

Antônio Pedro Tabet

Reprodução/Porta dos Fundos

Divertidos, escrachados e com seus esquetes politicamente incorretos, o grupo carioca de humor Porta dos Fundos completou, na última terça-feira (26), seu primeiro ano de vida. A trupe, que a cada semana surpreende os internautas com uma historinha diferente, tornou-se um fenômeno na internet, chegando a 400 milhões de visualizações no canal que detém no YouTube. Entre os vídeos mais populares dos humoristas estão, em ordem, Na Lata, (10,5 milhões de cliques), Sobre a Mesa (9,3 milhões de acessos) e Rola, (9 milhões de visualizações).

O R7 conversou com Antônio Pedro Tabet, um de seus fundadores, para saber o que eles estão achando desse sucesso.

— É surpreendente! Estamos muito lisonjeados com o que aconteceu em um ano, que é muito pouco tempo, até para internet. No entanto, não imaginávamos todo esse barulho. Tinha certeza que a gente ia fazer um trabalho bem feito e que esse trabalho seria reconhecido por boa parte de pessoas. Como eu confio plenamente no profissionalismo de toda a equipe, sabia que iríamos, a princípio, fazer um trabalho de qualidade. Agora, que ele ia se tornar o que ele se tornou, para mim, é surpreendente.

Tabet, que é formado em publicidade na UFRJ e que foi um dos fundadores do Kibe Louco (site de humor que fez sucesso em 2002), falou também sobre o clima de gravação que rola entre os integrantes do Porta.

— É muito divertido e eu fico muito feliz porque, hoje, consigo trabalhar com que eu gosto de fazer. A gente chega a desmarcar férias, viagens ou até algum tipo de lazer para poder gravar. É o inverso de qualquer pessoa, em qualquer função do mundo. A gente faz tudo para estar na gravação e lamentamos quando um ou outro não pode participar.

Os vídeos, conta o humorista, nascem da inspiração de quatro roteiristas, que semanalmente apresentam dois textos ao diretor Ian SBF em uma reunião de pauta.

— As ideias vem de todos os lados. No meu caso, de algum comportamento cotidiano que eu identifico na rua, alguma história dessas mais clássicas que você ouve e resolve questioná-la e imaginá-la de um jeito mais surreal... Mas para falar a verdade não existe uma receita, uma fórmula para isso.

Antônio revelou, ainda, que a trupe não pretende levar o Porta dos Fundos para a televisão.

— Por vários motivos: o primeiro é que na internet nós não temos chefe. Nós somos chefes de nós mesmos. A gente publica o que a gente quer, quando a gente quer, sobre o que a gente quer. Existe uma liberdade editorial que nosso conteúdo não precisa passar pelo crivo de ninguém. Segundo, que financeiramente o retorno para a internet já é tão bom quanto o retorno que nós teríamos na televisão. E é crescente. É um retorno que tende a aumentar e a ultrapassar. Ainda não estou rico, mas se algum investidor estiver lendo essa matéria e quiser investir, somos todos os ouvidos.

No início desta semana, o grupo divulgou um vídeo intitulado Deputado, que alfineta o deputado federal Pastor Marcos Feliciano (PSC-SP), que em uma postagem no Twitter criticou o trabalho dos humoristas. O que Tabet achou?

— Pessoalmente eu gosto muito. Porque se ainda existe algum trabalho que a gente está fazendo e esse trabalho de alguma maneira desagrada alguém como o Feliciano, isso significa que estou fazendo a coisa certa. Ou na melhor nas hipóteses ele certamente não entendeu a piada.
 

    Access log