Responsável por vídeo de William Waack posta foto em bancada do JG

Diego Rocha afirma não ver provocação nenhuma ao jornalista

Diego Rocha Pereira no estúdio do JG sentado na cadeira que foi de William Waack
Diego Rocha Pereira no estúdio do JG sentado na cadeira que foi de William Waack Reprodução/Instagram

Uma foto de Diego Rocha Pereira, um dos responsáveis pelo vazamento do polêmico vídeo de William Waack, sentado na bancada do Jornal da Globo, agitou a internet neste quarta-feira (6). 

Ao R7, o ex-funcionário da emissora afirmou que o clique foi feito com o próprio celular durante ida à emissora, em São Paulo, na última terça-feira (5). 

— Fui até o RH (recursos humanos) atualizar uma documentação minha.

Diego disse que circulou tranquilamente pela emissora. Segundo ele, sua entrada no estúdio do JG não causou estranheza entre os funcionários do jornalístico. Ele ainda falou que foi bem recebido pelos os ex-colegas de trabalho.

Na imagem, Pereira aparece sentado na cadeira que pertenceu a William Waack, âncora do jornal. Ele assegurou que não vê tom de provocação na foto.

— Foi uma brincadeira interna com amigos.

Por fim, Diego contou o que tem achado do afastamento do jornalista que dura até hoje.

— Acho justo, pois o que ele cometeu foi um crime, ato de racismo é crime! Assim como todo mundo erra, ele errou e está tendo esse tempo para repensar sobre o que fez.

Procurada, a TV Globo informou que está apurando o caso para "avaliar medidas". 

Relembre o caso

William Waack, então apresentador do Jornal da Globo, foi filmado fazendo um comentário racista minutos antes de entrar no ar no noticiário global. O vídeo foi revelado nas redes sociais em novembro passado. Com a repercussão negativa do episódio, o jornalista acabou afastado de suas funções, tanto na emissora carioca quanto na GloboNews. O caso ainda foi destaque no telejornal.

Na imagem, o apresentador está em frente à Casa Branca, em Washington, nos Estados Unidos, ao lado do também jornalista Paulo Sotero, que estava comentando a apuração das eleições presidenciais norte-americanas. Quando se houve o som de uma buzina ao  fundo, o jornalista vira para trás e diz “Tá buzinando por quê, seu merda do c...?”.

William Waack continua: “Não vou nem falar nada porque já sei quem é”. O âncora, então, se vira para o entrevistado e diz “É preto!”. O jornalista repete, falando um pouco mais alto.

Paulo Sotero disse ao R7 não se lembrar do episódio nem conseguir entender o que é dito pelo jornalista no vídeo. Mesmo assim, ele negou o racismo.

— Não é algo que tenha ficado registrado na minha memória. A julgar pelo vídeo, reajo a algo que se passa à minha frente no momento em que estou concentrado à espera de um sinal para entrar no ar. No vídeo, não consigo ouvir o que o William me diz. Surpreende-me  a informação sobre comentário racista. Não acho graça nenhuma em racismo e não creio que o William tenha postura diferente sobre o assunto.

O vídeo foi gravado em 8 de novembro de 2016.