TV e Entretenimento Ricardo Boechat atuou nos principais veículos de mídia do País

Ricardo Boechat atuou nos principais veículos de mídia do País

Horas antes do acidente, jornalista havia falado em programa de rádio sobre a quantidade de tragédias que o país vinha sofrendo nos últimos dias

Ricardo Boechat atuou nos principais veículos de mídia do País

Jornalista foi vítima de queda de helicóptero

Jornalista foi vítima de queda de helicóptero

Reprodução/Band

Morreu na manhã desta segunda-feira (11), aos 66 anos, o jornalista, apresentador e radialista Ricardo Boechat. Ele foi uma das duas vítimas fatais que estava a bordo do helicóptero que caiu sobre um caminhão que trafegava na ligação do Rodoanel com a rodovia Anhanguera, em São Paulo. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o piloto e o jornalista morreram carbonizados e o motorista do caminhão ficou ferido.

Mais cedo, em seu último programa,  Ricardo Boechat criticou a impunidade em tragédias.

Filho de diplomata brasileiro, Boechat nasceu em Buenos Aires, na Argentina. O jornalista deixa mulher, Veruska Seibel Boechat, e seis filhos: Paula, Bia, Rafael, Patrícia, e as pequenas Valentina e Catarina.  

Boechat na companhia da mulher e das filhas caçulas

Boechat na companhia da mulher e das filhas caçulas

Reprodução/Instagram

Presente nos principais veículos de comunicação, Boechat trabalhou nos jornais O Dia, O Globo, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil. Nos últimos anos trabalhava como âncora nas rádios BandNews FM, Band, e na televisão, comandando o Jornal da Band — principal telejornal da emissora.

Boechat recebeu diversos prêmios ao longo da carreira. Foi o maior ganhador da história do Prêmios Comunique-se, vencendo em três categorias (Colunista de Notícias, Âncora de TV e Âncora de Rádio).

Em 2014, o apresentador foi escolhido como o mais admirado na pesquisa do site Jornalistas & Cia.
O jornalista também acumulou três prêmios Esso — principal premiação aos profissionais de imprensa do Brasil.

Em parceria com Sergio Nereu Pagano, Boechat também escreveu o livro Copacabana Palace - Um hotel e sua história, que traz a história do famoso hotel do Rio de Janeiro que pode ser visto como 'personagem' à parte da cidade, desde sua inauguração em 1923.